A tendência do uso de mochilas de luxo O visual  casual-chic  ganhou outros contornos nas últimas temporadas e a configuração atual está mais próxima da praticidade exigida pela rotina. Mas isso não significa que os traços finos e sofisticados foram descartados! Um exemplo é o uso das mochilas de luxo. Artigos versáteis e mais adequados para o trabalho ou ocasiões informais, as  it-bags  ganharam destaque ao serem amplamente utilizadas por celebridades como Gigi Hadid, Bella Hadid, Rihanna e Kylie Jenner. Marcas como Versace, Valenti no e Moschino apostaram no acessório para as passarelas. O uso no trabalho já se tornou constante. Mochilas de couro, resistentes e elegantes, podem ser usadas vastamente no ambiente corporativo. Ademais, são uma informação de moda relevante, que pode agregar um toque de modernidade ao mais s imples dos looks empresariais. Variando o s t amanhos, as mochilas podem ser: grandes, para levar itens como  laptops ; médias, que comportam perfeitamente bem seus objetos de uso constante e mais alguns; ou pequenas, para levar apenas o indispensável. O modelo  Città,  já disponível na  online store  Bárbara Vital Official, é um deslumbrante modelo de mochila de luxo que veio para somar à sua rotina mais praticidade e elegância. Nos tons marrom e preto, a  it-bag  é ideal para integrar seu visual em todos os ambientes informais. Para as mulheres que adoram inovar e ousar, a mochila vermelha é um item indispensável, que pode ser o foco de cor do  look. Não espere mais  para adquirir a sua!  
Mesmo sendo impossível afirmar com precisão em que ano a bolsa foi inventada, podemos afirmar com segurança que a existência deste acessório é tão antiga quanto a história da humanidade. No Egito antigo, vemos registros de pessoas que amarravam sacolas com cordões para serem usadas no transporte de objetos. Na agricultura, os grãos eram colocados e carregados em sacolas presas ao corpo dos trabalhadores para serem mais facilmente utilizados no plantio. Com o passar do tempo, elas foram se transformando e ganhando novas utilidades: transportar moedas, objetos, roupas, comida, água, livros e o que mais coubesse dentro. Na Idade Média começamos a ver as primeiras bolsas de couro e uma diferenciação nos estilos. As bolsas para homens eram pouco ornadas e de couro, bem simples. Mas as bolsas para mulheres já eram mais decoradas. No século XIX, os ingleses cunham o termo handbag (bolsa de mão) e a existência de novos modelos estilos e materiais começou a aumentar em uma proporção impressionante. A cada século que se passava, novos incrementos foram propostos e o acessório ganhou mais e mais destaque. Agora, com correntes, alças, fechaduras diversas, couros variados, cores e muitos estilos diferentes, a bolsa se tornou um item essencial do guarda-roupa feminino e masculino. São símbolo de elegância, sofisticação e modernidade. Quem diria que este acessório tão belo pudesse conter uma história tão diversificada e rica?
Duomo de Milão O termo duomo vem da palavra latina domus, que, na Roma antiga, significava “casa”. Depois das invasões bárbaras, o termo passou a significar “casa de Deus”, sendo a igreja principal de uma comunidade. O nome verdadeiro do Duomo de Milão é Catedral Basílica Metropolitana de Santa Maria Nascente. A construção foi iniciada em 1386 e, depois de quase 500 anos de construção, a catedral ficou pronta. O projeto era muito ousado para a época em que foi idealizado: 157 metros de comprimento, 109 de altura 11.700 metros quadrados e espaço para mais de 40.000 pessoas. Porém, todo o esforço e investimento valeram a pena. A construção é imponente e única, sendo a sexta maior igreja cristã no mundo. Além da visita pelo interior da catedral, é possível visitar o terraço dela, e desfrutar da vista belíssima e privilegiada da cidade, além de poder apreciar de perto os detalhes das esculturas do telhado. Vale a pena conferir! Galeria Vittorio Emanuele II A Galeria, também conhecida como “Salão de Milão”, é uma obra de arte e é um dos primeiros exemplos de centro comercial no mundo. Ela foi construída entre 1865 e 1877, em homenagem ao rei Vittorio Emanuele II. Hoje, abriga lojas de marcas renomadas, como Prada, Gucci e Versace, restaurantes, livrarias históricas e cafeterias encantadoras, como o Caffè Biffi, inaugurado em 1867. Ela tem o formato de uma rua de pedestres coberta por um teto de vidro e ferro, e liga a Praça do Duomo à praça da Scala, onde fica uma das mais famosas casas de ópera do mundo, o Teatro alla Scala. Na intersecção das vias da Galeria, há uma cúpula, chamada de “octógono”. E, próximo a ela, há quatro pinturas representando os continentes da América, Ásia, África e Europa. Os turistas sempre estão procurando os melhores ângulos para tirar fotos. O mosaico da tradicional família Savoia, no piso central do edifício, é uma das atrações mais famosas do lugar. Diz a tradição que, se você der uma volta completa com o pé direito apoiado sobre os genitais do touro, você terá sorte. Praça do Duomo A principal e mais famosa praça de Milão está localizada em frente ao Duomo. O pavimento é decorado com figuras geométricas e, no centro da praça, está o monumento em homenagem ao rei Vittorio Emanuele II, que foi o último rei da Sardenha e o primeiro rei da Itália. Ela representa o momento no qual o rei guia sua tropa em direção à batalha de San Martino. A base do monumento é feita de granito e mármore de Carrara. A estátua e os altos relevos são de bronze. A praça tem uma superfície de aproximadamente 17.000 metros quadrados e formato retangular. É um dos pontos mais movimentados e belos da cidade, sendo o ponto de encontro dos milaneses para celebrar ocasiões importantes e festivas.
A cidade de Milão, na Itália, foi o plano de fundo para importantes momentos da história da arte moderna e, atualmente, arte contemporânea. A cidade era destino certo nas rotas comerciais na modernidade. Entre as décadas de 50 e 60, era o centro industrial da Itália, o que levou a um progresso considerável em vários aspectos. Outro ponto que coloca Milão em uma posição de destaque no cenário da moda internacional é o fato de que sedia muitas empresas de marcas famosas como Giorgio Armani, Prada, Versace e Gucci. Atualmente, Milão acolhe duas vezes por ano uma semana de moda, trazendo desfiles que ditam tendências e expõem a criatividade e a inovação de grandes nomes do design de moda. Os pontos de vista icônicos de nomes como Mario Prada, Gianni Versace e Giorgio Armani foram eternizados em passarelas de Milão. A cidade também comporta o chamado “quadrilátero da moda”, ou, em italiano, quadrillatero della moda. Um conjunto de quatro ruas onde lojas das marcas mais famosas do mundo estão reunidas, proporcionando um verdadeiro desfile de design, elegância e modernidade.
© Copyright 2019 | Bárbara Vital - Todos os direitos reservados